O papel da ADIRN na região

Facilitadora do Desenvolvimento Local através das condições de projectos e fundos de apoio dos Quadros Comunitários de Apoio – Programa Nacional de Desenvolvimento Rural ou outros programas.

Entidade Formadora – Sendo reconhecida pela DGERT com capacidade para conceber, executar e implementar acções de formação, pode apresentar uma oferta ao nível de cursos das mais variadas temáticas: Desenvolvimento Local; Turismo; Desporto Aventura; Agricultura e produção animal; floricultura e jardinagem; comércio; SHT.

Promoção Turística – Em parceria com as Entidades de Turismo, as Comunidades Urbanas ou outras entidades podemos dar um importante contributo numa área que conhecemos bem, ao nível dos eventos de representação do teritório, de concepção e implementação de estratégias de marketing, etc.

Promoção de Produtos Locais e Artesanato – Representação dos produtos e produtores da Zona de Intervenção em eventos a nível nacional e internacional.

Dinamização do Espírito Inovador – Captar investidores e sugerir novos projectos e ideias.

Catalizador de Parcerias – Identificar problemas, oportunidades, sugerir soluções, seleccionar e envolver os parceiros adequados para cada situação.

Gerir e Animar projectos não lucrativos que visam o bem estar das populações, principalmente as camadas jovens.

Promover empresas por forma a serem auto suficientes e contribuirem para os objectivos mais gerais do Desenvolvimento Sustentável: PróRegiões; Templar; Loja do Ribatejo Norte; Turismo Azul e Verde.

Parceira activa em projectos promocionais e eventos da região.

Consultadoria no Desenvolvimento Rural – Ser uma entidade interveniente nas questões do Desenvolvimento Rural, contribuindo com uma experiência de 21 anos.

A ABORDAGEM LEADER como instrumento de orientação para o desenvolvimento de uma estratégia no território:

O Desenvolvimento Local passa por um território e uma actividade social e económica que permite a qualidade de vida das suas populações.A incidência da intervenção da ADIRN está centrada nestas questões, procurar de forma sustentável, rentabilizar ao máximo a cultura desta população.

O Ribatejo Norte dispõe de um património ímpar, que deve ser valorizado como factor de desenvolvimento económico-social e cultural. Reconhecer o valor do passado, proteger e valorizar o património, torná-lo conhecido, acessível e interactivo com as populações residentes é uma tarefa indispensável.

Defender a cultura, salvaguardá-la e interpretá-la é sensibilizar o indivíduo para a preservação dos bens patrimoniais que constituem as raízes de um dado local.

O território deve ser entendido com todas as suas componentes (paisagens, edifícios, “saber-fazer” e a própria população residente) como factor de desenvolvimento sustentável quando integrado no turismo, artesanato, gastronomia e tradições. O valor do património reside no facto de lhe atribuir um sentido, transformar um bem privado ou comum com potencial valor colectivo.

Um território com estratégias de desenvolvimento locais, acompanhadas de procedimentos claros/transparentes e apoiadas pela assistência técnica necessária para a transferência de boas práticas tem como resultado a fixação de pessoas, levando à dinamização da actividade económica.

Compete à ADIRN como Associação de Desenvolvimento Local:
Diagnosticar o potencial do território
Definir estratégia com base no local
Condicionar a actividade económica através dos projectos aprovados
Garantir mais dinamização para benefício da população local
Animar / promover / desenvolver o território
Trabalhar a rede local para definição de objectivos
Dinamizar redes nacionais e internacionais.

É nesta linha de pensamento, que vem desde o início da abordagem LEADER que temos desenvolvido a nossa estratégia com base nos 7 princípios. É certo que desenvolvemos no passado e pretendemos continuar a ter este modelo no futuro, até porque define muito bem o caminho que queremos continuar a seguir.